Portugal, país de turismo: dissonâncias e usos turísticos do património do Estado Novo

Autores

  • Belmira Coutinho Universidades de Aveiro e do Minho
  • Maria Manuel Baptista Universidade de Aveiro
  • Moisés de Lemos Martins Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade, Universidade do Minho
  • José Rebelo Universidade de Aveiro

DOI:

https://doi.org/10.21814/rlec.347

Palavras-chave:

Estado Novo, turismo negro, museus de resistência, património dissonante

Resumo

Este artigo reflete sobre os usos, especialmente os turísticos, da herança patrimonial da ditadura em território português. Recorre à teoria do património dissonante e questiona o contributo que o enquadramento do turismo negro pode dar para a interpretação deste património.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2018-12-20

Como Citar

Coutinho, B., Baptista, M. M., Martins, M. de L., & Rebelo, J. (2018). Portugal, país de turismo: dissonâncias e usos turísticos do património do Estado Novo. Revista Lusófona De Estudos Culturais, 5(2), 213-. https://doi.org/10.21814/rlec.347

Artigos mais lidos do(s) mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>