O CORPO MORTO: Mitos, ritos e superstições

Autores

  • Moisés de Lemos Martins Universidade do Minho

DOI:

https://doi.org/10.21814/rlec.11

Palavras-chave:

Rituais de morte, cultura visual, trágico, grotesco, barroco

Resumo

Este estudo tem um cariz preponderantemente sócio-antropológico, versando as tradições, as crenças, os mitos, os ritos, enfim, o modo como a comunidade humana imagina o post mortem e cuida de alguém que morreu. No entanto, depois de uma rápida digressão histórica sobre a morte no Ocidente, tomando como fonte obras de Philippe Ariès (1975 e 1977), Louis-Vincent Thomas (1985), e Maria Manuel Oliveira (2007), o meu propósito visa sobretudo a contemporaneidade, onde as transformações operadas na cultura pelas tecnologias e pelos media, de tão profundas, vieram alterar, ao longo do século XX, o sentido que tanto damos à vida como à morte.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2013-06-16

Como Citar

Martins, M. de L. (2013). O CORPO MORTO: Mitos, ritos e superstições. Revista Lusófona De Estudos Culturais, 1(1), 109-134 | 135. https://doi.org/10.21814/rlec.11

Edição

Secção

Artigos temáticos

Artigos mais lidos do(s) mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>