“O Povo Desliga, Vai à Procura do Fado” — A Rádio e a Resistência Fadista ao Estado Novo na Década de 1930

Autores

  • José Ricardo Carvalheiro Departamento de Comunicação, Filosofia e Política, Faculdade de Artes e Letras, Universidade da Beira Interior, Covilhã, Portugal https://orcid.org/0000-0003-3917-5230

DOI:

https://doi.org/10.21814/rlec.3363

Palavras-chave:

história da rádio, fado, Estado Novo, década de 1930, imprensa

Resumo

Muito longe da consagração atual e mesmo antes da sua domesticação pelo salazarismo, o fado atravessou fases dilemáticas da sua existência. Entre elas, estão os tempos iniciais da sua mediatização, em particular, as complexas articulações com a rádio na década de 1930, com o Estado Novo e os preconceitos de classe a tentarem ostracizar o fado ou, pelo menos, travar a legitimação nacional da cultura popular urbana. As tensões que já antes rodeavam o fado renovaram-se e agudizaram-se face ao contexto simultâneo de estabilização da ditadura e de implantação da rádio em Portugal, colocando o novo meio de difusão sonora no centro das lutas simbólicas em torno da “canção nacional”. Envolvendo dilemas entre o estigma e a legitimação fadista, entre a sua origem e a propagação, entre a difusão pública e o controlo estético ou moral, constitui-se uma zona de articulação da rádio com o fado onde diversos atores sociais se posicionaram, com diferentes objetivos e estratégias, e em que se jogaram questões de programação, discursividade e status social. O objetivo deste artigo é identificar esse conjunto de articulações ao longo dos anos 30, tentando perceber de que maneira a formação do campo radiofónico, com as suas várias estações e matizes, se tornou palco e participante num processo cultural que, em alguns aspetos, já o precedia. A pesquisa baseia-se na imprensa coeva, especificamente nos jornais de fado (Guitarra de Portugal; Canção do Sul) e nos periódicos dedicados à rádio (Rádio Semanal; Rádio Revista; Boletim da Emissora Nacional; Rádio Nacional).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia Autor

José Ricardo Carvalheiro, Departamento de Comunicação, Filosofia e Política, Faculdade de Artes e Letras, Universidade da Beira Interior, Covilhã, Portugal

José Ricardo Carvalheiro é professor auxiliar da Universidade da Beira Interior, Faculdade de Artes e Letras, Departamento de Comunicação, Filosofia e Política. É ainda investigador do LabCom, unidade de investigação em comunicação e artes.

Referências

Brito, J. P. de. (1999). O fado: Etnografia na cidade. In G. Velho (Ed.), Antropologia urbana. Cultura e sociedade no Brasil e em Portugal (pp. 24–42). Zahar.

Carvalho, R. (1994). As músicas do fado. Campo das Letras.

Costa, A. F., & Guerreiro, M. D. (1984). O trágico e o contraste. D. Quixote.

Fortes, J. M. (1926). O fado — Ensaios sobre um problema etnográfico-folclórico. Companhia Portuguesa Editora.

Machado, A. V. (1937). Ídolos do fado. Tipografia Gonçalves.

Moita, L. (1936). O fado – Canção de vencidos. Empresa do Anuário Comercial.

Moreira, P. R. (2012). “Cantando Espalharei por Toda a Parte”: Programação, produção musical e o “aportuguesamento” da “música ligeira” na Emissora Nacional de Radiodifusão (1934-1949) [Tese de doutoramento, Universidade Nova de Lisboa]. RUN. http://hdl.handle.net/10362/9477

Nery, R. V. (2012). Para uma história do fado. Imprensa Nacional – Casa da Moeda.

Neves, A. (2017). Armando Neves: Um vulto esquecido do fado. Edições DG.

Ribeiro, N. (2005). A emissora nacional dos primeiros anos do Estado Novo, 1933-1945. Quimera.

Rosas, F. (2018). A Primeira República, 1910-1926: Como venceu e porque se perdeu. Bertrand Editora.

Santos, R. (2005). As vozes da rádio, 1924-1939. Caminho.

Santos, V. P. dos. (2005). Amália – Uma biografia. Presença.

Sucena, E. (1993). Lisboa, o fado e os fadistas. Mutilar.

Publicado

2021-12-22

Como Citar

Carvalheiro, J. R. (2021). “O Povo Desliga, Vai à Procura do Fado” — A Rádio e a Resistência Fadista ao Estado Novo na Década de 1930. Revista Lusófona De Estudos Culturais, 8(2), 177-191. https://doi.org/10.21814/rlec.3363