O beijo subversivo que subverte a telinha

Autores

  • Tânia Montoro Universidade de Brasília / Universidade Federal de Goiás Campus Universitário Darcy Ribeiro, Brasília
  • Maria Luiza Mendonça Universidade de Brasília / Universidade Federal de Goiás Campus Universitário Darcy Ribeiro, Brasília

DOI:

https://doi.org/10.21814/rlec.88

Palavras-chave:

Estudos de gênero, televisão, telenovela, representação audiovisual

Resumo

A ficção seriada televisiva, a telenovela, um gênero folhetinesco e com muito sucesso no Brasil, tem possibilitado uma autonomia para a indústria nacional do audiovisual, uma vez que a TV brasileira produz a maior parte da programação exibida em horário nobre (20 às 22 horas). Desde a década de 70, passou a exportar telenovelas para países dos cinco continentes incluindo latinos americanos e países socialistas. A persistência de elementos da cultura popular e a presença de elementos narrativos originários de formas reconhecidas, como a literatura de cordel, teatro de revista, as radionovelas e os romances modernos tem feito o sucesso da telenovela na cultura do cotidiano brasileiro e de outros países. Este artigo demostra, por meio da análise da circulação e consumo do audiovisual, dentro de uma perspectiva dos estudos culturais e estudos feministas e de gênero, as polemicas mediáticas com relação à representação de gênero particularmente da sexualidade na velhice feminina com a criação de tramas e personagens que assumem a homossexualidade, o lesbianismo, a bissexualidade e mesmo, ao deslocar conteúdos que pertenciam à esfera privada para o domínio público e operam também em sentido inverso, saturam o espaço público temas restritos à intimidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

##submission.downloads##

Publicado

2015-06-18

Como Citar

Montoro, T., & Mendonça, M. L. (2015). O beijo subversivo que subverte a telinha. Revista Lusófona De Estudos Culturais, 3(1), 163-. https://doi.org/10.21814/rlec.88