As mulheres na mobilidade acadêmica internacional: uma caracterização das pesquisadoras brasileiras na Universidade do Minho

Autores

  • Sônia Cerqueira Universidade Tiradentes e Universidade do Minho
  • Rita Ribeiro Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade - Universidade do Minho

DOI:

https://doi.org/10.21814/rlec.94

Palavras-chave:

Mulheres e ciência, mobilidade acadêmica, pesquisadoras brasileiras, Universidade do Minho

Resumo

A ciência tem avançado no debate sobre as relações de gênero, todavia ainda repousa sobre desníveis entre homens e mulheres, o que os conduz a escolhas e motivações distintas no âmbito da sua carreira acadêmica e científica. Com as exigências da internacionalização da educação, novos desafios se impõem para as mulheres, sobretudo, em relação à sua inserção no contexto das estratégias políticas adotadas para atender à dinâmica global da educação. Dentre estas estratégias, encontra-se a mobilidade acadêmica internacional, cujo objetivo é estimular o envio de estudantes e pesquisadores para centros de pesquisa no estrangeiro. O sistema brasileiro de Ciência e Tecnologia vem alargando investimentos neste setor, com a distribuição de bolsas de pesquisa para os diversos graus. Mas qual a representação feminina neste cenário e quais os significados que atribuem a esta prática da mobilidade? A partir de um inquérito realizado com 52 mulheres brasileiras em mobilidade acadêmica na Universidade do Minho, inscritas em cursos de pós-graduação, este estudo objetivou traçar um perfil destas estudantes e pesquisadoras, abordando as suas características pessoais, sociais, culturais e acadêmicas, além das principais motivações subjetivas que definem a escolha por este tipo de mobilidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

##submission.downloads##

Publicado

2015-06-18

Como Citar

Cerqueira, S., & Ribeiro, R. (2015). As mulheres na mobilidade acadêmica internacional: uma caracterização das pesquisadoras brasileiras na Universidade do Minho. Revista Lusófona De Estudos Culturais, 3(1), 233-. https://doi.org/10.21814/rlec.94