Tematização da Deficiência na Literatura Infantil — Olhares Sobre as Personagens

Autores

  • Renata Junqueira de Souza Programa de Pós-Graduação em Educação, Faculdade de Ciências e Tecnologia, Universidade Estadual Paulista, São Paulo, Brasil https://orcid.org/0000-0003-2227-2544
  • Sílvia de Fátima Pilegi Rodrigues Programa de Pós-Graduação em Educação, Instituto de Ciências Humanas e Sociais, Universidade Federal de Rondonópolis, Rondonópolis, Brasil http://orcid.org/0000-0002-0109-4593

DOI:

https://doi.org/10.21814/rlec.3477

Palavras-chave:

deficiência física, literatura infantil, inclusão, compreensão textual

Resumo

O presente estudo se propõe a problematizar a representação de personagens com deficiência física em obras de literatura infantil. A discussão é relevante visto que a temática vem se colocando em livros produzidos para a infância no Brasil, principalmente a partir de 2008, com a Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva Inclusiva (Decreto nº 6.571, 2008). Embora a questão já aparecesse em algumas obras literárias em períodos anteriores, geralmente com uma abordagem estereotipada. As editoras de literatura infantil, diante de várias políticas e programas institucionais, acharam um filão no tema das necessidades especiais. Indubitavelmente, pressões sociais e políticas de inclusão interferem nas produções literárias e sua inserção também no contexto escolar. Neste sentido, analisar obras que não reforcem estereótipos ou remetam a deficiência como superação heroica, resignação e aceitação do destino, colocando as personagens em condições de subalternidade e/ou que inspirem piedade ou vontade divina, pode colaborar para a ampliação de olhares acerca do que é estigmatizado como deficiência e os limites e possibilidades do ser humano em diferentes condições e potencialidades. Comparar livros infantis que trazem esses dois aspectos — superação e aceitação do real versus resignação e superação heroica — pode ajudar leitores e crianças a compreender a deficiência dentro de uma normalidade e abrir boas perspectivas de discussão sobre a temática com esses leitores em formação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografias Autor

Renata Junqueira de Souza, Programa de Pós-Graduação em Educação, Faculdade de Ciências e Tecnologia, Universidade Estadual Paulista, São Paulo, Brasil

Renata Junqueira de Souza é livre-docente em metodologia e prática de ensino de língua portuguesa. É professora de língua portuguesa e literatura infantil no curso de pedagogia da Faculdade de Ciência e Tecnologia da Universidade Estadual Paulista (UNESP), câmpus de Presidente Prudente. É docente do programa de pós-graduação em educação da UNESP e colaboradora do programa de pós-graduação em letras da Universidade Federal da Paraíba. Tem pós-doutorados na área de literatura e ensino, fundou na UNESP o Centro de Estudos em Leitura e Literatura Infantil e Juvenil Maria Betty Coelho Silva —, local onde coordena o grupo de pesquisa Formação de Professores e as Práticas Educativas em Leitura, Literatura e Avaliação do Texto Literário (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico). Tem investigações na área de educação e nos seguintes temas: leitura, formação de leitores, literatura infantil, literatura e formação de professores, estratégias de leitura.

Sílvia de Fátima Pilegi Rodrigues, Programa de Pós-Graduação em Educação, Instituto de Ciências Humanas e Sociais, Universidade Federal de Rondonópolis, Rondonópolis, Brasil

Sílvia de Fátima Pilegi Rodrigues possui graduação em letras e em pedagogia, mestrado em educação pela Universidade Federal de Mato Grosso e doutorado em educação: história, política, sociedade pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Realizou seus estudos de pós-doutoramento na UNESP — Faculdade de Ciências e Tecnologia, Câmpus de Presidente Prudente. É professora na Universidade Federal de Rondonópolis e trabalha nos cursos de pedagogia e mestrado em educação. Sílvia tem experiência na área de educação, com ênfase em ensino e aprendizagem, atuando principalmente nos seguintes temas: formação de professores, práticas e estratégias de leitura, literatura infantil e alfabetização. Ela é membro dos grupos de pesquisa Alfabetização e Letramento Escolar e Formação de Professores e as Práticas Educativas em Leitura, Literatura e Avaliação do Texto Literário. Sílvia é filiada à Associação Brasileira de Alfabetização e à Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação.

Referências

Adomat, D. S. (2014). Exploring issues of disability in children’s literature discussions. Disability Studies Quarterly, 34(3), 1–15. https://doi.org/10.18061/dsq.v34i3.3865

Altieri, J. L. (2008). Fictional characters with dyslexia: What are we seeing in books? Journal of Literary & Cultural Disability Studies, 41(1), 48–54. https://doi.org/10.1177/004005990804100106

Alves, P. (2021, 19 de agosto). Ministro da Educação diz que a crianças com grau de deficiência que ‘é impossível a convivência’. Globo. https://g1.globo.com/pe/pernambuco/noticia/2021/08/19/ministro-da-educacao-criancas-impossivel-convivencia.ghtml

Barros, A. S. (2015). Quarenta anos retratando a deficiência: Enquadres e enfoques da literatura infantojuvenil brasileira. Revista Brasileira de Educação, 20(60), 167–193. https://doi.org/10.1590/S1413-24782015206009

Beckett, A., Ellison, N., Barrett, S., & Shah, S. (2010). ‘Away with the fairies?’ Disability within primary-age children’s literature. Disability & Society, 25(3), 373–386. https://doi.org/10.1080/09687591003701355

Cadermatori, L. (2006). O que é literatura infantil. Brasiliense.

Coelho, N. N. (2000). Literatura infantil: Teoria, análise, didática. Moderna.

Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. art. 205.

Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. art. 208, §III.

Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. art. 206, §I.

Curwood, J. S. (2013). Redefining normal: A critical analysis of (dis)ability in young adult literature. Children’s Literature in Education: An International Quarterly, 44(1), 15–28. https://doi.org/10.1007/s10583-012-9177-0

Cury, C. R. J. (2005). Os fora de série na escola. Armazém do Ipê.

Decreto Legislativo nº 186, de 2008 (2008). http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Congresso/DLG/DLG-186-2008.htm

Decreto nº 6.571, de 17 de setembro de 2008 (2008). http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2008/decreto/d6571.htm

Decreto nº 3.298, de 20 de dezembro de 1999 (1999). http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/d3298.htm

Dowker, A. (2013). A representação da deficiência em livros infantis: Séculos XIX e XX. Educação & Realidade, 38(4), 1053–1068.

Dyches, T. T., & Prater, M. A. (2005). Characterization of developmental disabilities in children’s fiction. Education and Training in Developmental Disabilities, 40(3), 202–216.

Emenda Constitucional nº 65, de 13 de Julho de 2010 (2010). http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Constituicao/Emendas/Emc/emc65.htm

Flynn, K. S. (2001). Developing children’s oral language skills through dialogic reading: Guidelines for implementation. Teaching Exceptional Children, 44(2), 8–16. https://doi.org/10.1177/004005991104400201

Freire, S. (2008). Um olhar sobre a inclusão. Revista da Educação, 16(1), 5–20. http://hdl.handle.net/10451/5299

Hughes, C. (2012). Seeing blindness in children’s picturebooks. Journal of Literary & Cultural Disability Studies, 6(1), 35–51.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. (2012). Censo brasileiro de 2010. IBGE

Kirchof, E. R., Bonin, I. T., & Silveira, R. M. H. (2013). Apresentação – Literatura infantil e diferenças. Educação & Realidade, 38(4), 1045–1052. https://doi.org/10.1590/S2175-62362013000400002

Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996 (1996). http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm

Lei nº 13.146, de 6 de julho de 2015 (2015). http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2015/lei/l13146.htm

Lei nº 13.005, de 25 de junho de 2014 (2014). http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2014/lei/l13005.htm

Machado, M. Z. V. (2014). Gêneros literários para crianças. In I. C. Frade, M. G. C. Val, & M. Bregunci (Eds.), Glossário Ceale de termos de alfabetização, leitura e escrita para educadores. CEALE; Faculdade de Educação da UFMG.

Paiva A. (2008). A produção literária para crianças: Onipresença e ausência das temáticas. In A. Paiva, & M. Soares (Eds.), Literatura infantil: Políticas e concepções (pp. 35–52). Autêntica.

Pimentel, F. (1952). Histórias da avozinha. Livraria Quaresma.

Portaria nº 1.793, de dezembro de 1994 (1994). http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/port1793.pdf

Prater, M. A. (1999). Characterization of mental retardation in children’s and adolescent literature. Education and Training in Mental Retardation and Developmental Disabilities, 34(4), 418–431.

Price, C. L., Ostrosky, M. M., & Mouzourou, C. (2016). Exploring representation of characters with disabilities in library books. Early Childhood Education Journal, 44(6), 563–572. https://doi.org/10.1007/s10643-015-0740-3

Quicke, J. B. (1985). Disability in modern children’s fiction. Croom Helm.

Resolução CNE/CEB nº 2, de 11 de setembro de 2001 (2001). http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/CEB0201.pdf

Sipe, L. R. (2012). Revisiting the relationships between text and pictures. Children’s Literature in Education, 43, 4–21. https://doi.org/10.1007/s10583-011-9153-0

Sonnenschein, S., & Munsterman, K. (2002). The influence of homebased reading interactions on 5-year-olds’ reading motivations and early literacy development. Early Childhood Research Quarterly, 17(3), 318–337. https://doi.org/10.1016/S0885-2006(02)00167-9

Souza, R. J., & Bortolanza, A. M. E. (2012). Leitura e literatura para crianças de 6 meses a 5 anos: livros, poesias e outras ideias. In R. J. Souza, & E. A. Lima (Eds.), Leitura e cidadania (pp. 67–90). Mercado de Letras.

Wopperer, E. (2011). Inclusive literature in the library and the classroom: The importance of young adult and children’s books that portray characters with disabilities. Knowledge Quest, 39(3), 26–34.

Yenika-Agbaw, V. S. (2011). Reading disability in children’s literature: Hans Christian Andersen’s tales. Journal of Literary & Cultural Disability Studies, 5(1), 91–107.

Zilberman, R., & Lajolo, M. (1993). Um Brasil para crianças – Para conhecer a literatura infantil brasileira: história, autores e textos. Global.

Publicado

2021-12-22

Como Citar

Souza, R. J. de, & Rodrigues, S. de F. P. (2021). Tematização da Deficiência na Literatura Infantil — Olhares Sobre as Personagens. Revista Lusófona De Estudos Culturais, 8(2), 119-138. https://doi.org/10.21814/rlec.3477