Entre memórias silenciadas de Ungulani ba ka Khosa e Virgem Margarida de Licínio de Azevedo: espaços e memórias

Autores

  • Teresa Manjate Universidade Politécnica

DOI:

https://doi.org/10.21814/rlec.381

Palavras-chave:

Campos de reeducação, espaços, imaginário, memórias

Resumo

O presente artigo tem como objecto de estudo duas narrativas: Entre memórias silenciadas de Ungulani ba ka Khosa (romance) e Virgem Margarida de Licínio de Azevedo (filme de ficção). A aproximação das duas obras é sugerida pela exploração temática –  o processo de “reeducação” de uma franja da sociedade que é tida pelas instituições de poder como marginais ou desviadas dos ideais da nova nação, em campos afastados das cidades. Pretende-se, numa perspectiva comparada, reflectir sobre as duas narrativas, a partir da análise dos espaços – topoanálise – relacionando esta categoria da narrativa com a memória: entre a individual e a colectiva.

Downloads

Não há dados estatísticos.

##submission.downloads##

Publicado

2019-06-26

Como Citar

Manjate, T. (2019). Entre memórias silenciadas de Ungulani ba ka Khosa e Virgem Margarida de Licínio de Azevedo: espaços e memórias. Revista Lusófona De Estudos Culturais, 6(1), 51-68|69. https://doi.org/10.21814/rlec.381