Revista Lusófona de Estudos Culturais https://rlec.pt/ <p>A&nbsp;<em>Revista Lusófona de Estudos Culturais</em>&nbsp;(RLEC)/<em>Lusophone Journal of Cultural Studies</em>&nbsp;(LJCS) (e-ISSN: 2183-0886, ISSN: 2184-0458) é uma revista temática da área dos Estudos Culturais. Publicada desde 2013 no sistema OJS, esta revista de acesso aberto tem um rigoroso sistema de arbitragem científica e é publicada em português e em inglês duas vezes por ano. De 2013 a 2016 foi publicada pela Universidade do Minho e Aveiro, em conjugação com o Programa Doutoral em Estudos Culturais. Em 2017, passou a ser publicada, exclusivamente, pelo&nbsp;<a href="http://www.cecs.uminho.pt/" target="_blank" rel="noopener">Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade</a>, do Instituto de Ciências Sociais da Universidade do Minho. O conselho editorial da RLEC integra reputados especialistas dos Estudos Culturais, de diversos pontos do mundo.&nbsp;</p> pt-PT <p>Os autores, individuais ou colectivos, dos artigos publicados transferem para a&nbsp;<em>Revista Lusófona de Estudos Culturais&nbsp;</em>o exclusivo do direito de publicação sob qualquer forma.</p> rlec@ics.uminho.pt (Revista Lusófona de Estudos Culturais) rlec@ics.uminho.pt (Revista Lusófona de Estudos Culturais) Wed, 26 Jun 2019 00:00:00 +0000 OJS 3.1.1.2 http://blogs.law.harvard.edu/tech/rss 60 Cinema, migrações e diversidade cultural: nota introdutória https://rlec.pt/article/view/1857 <p>A intensificação dos fluxos migratórios e a crescente interconectividade “global” têm tornado evidente que um maior nível de contacto entre pessoas de diferentes culturas não se traduz automaticamente num maior interconhecimento e diálogo intercultural...</p> Rosa Cabecinhas, Isabel Macedo, Renné França ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 https://rlec.pt/article/view/1857 Wed, 26 Jun 2019 00:00:00 +0000 Visões da América Latina em Cabezas cortadas, de Glauber Rocha https://rlec.pt/article/view/1858 <p>Cabezas cortadas, de Glauber Rocha, narra a experiência de um ditador latino-americano em seu exílio espanhol (ainda que o nome do país nunca seja mencionado) e se fundamenta em termos estilísticos por meio de uma operação surrealista de associação de conceitos e símbolos. Essa ferramenta, a operação surrealista na articulação de conceitos e símbolos, constitui o método para a construção do diálogo cultural entre América Latina e Espanha proposto pelo filme. Este artigo apresenta como objetivo, portanto, analisar o diálogo cultural articulado entre Cabezas cortadas e a América hispânica e a sua ideia de identidade latino-americana.</p> Estevão Garcia ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 https://rlec.pt/article/view/1858 Wed, 26 Jun 2019 00:00:00 +0000 Entre memórias silenciadas de Ungulani ba ka Khosa e Virgem Margarida de Licínio de Azevedo: espaços e memórias https://rlec.pt/article/view/1859 O presente artigo tem como objecto de estudo duas narrativas: Entre memórias silenciadas de Ungulani ba ka Khosa (romance) e Virgem Margarida de Licínio de Azevedo (filme de ficção). A aproximação das duas obras é sugerida pela exploração temática –  o processo de “reeducação” de uma franja da sociedade que é tida pelas instituições de poder como marginais ou desviadas dos ideais da nova nação, em campos afastados das cidades. Pretende-se, numa perspectiva comparada, reflectir sobre as duas narrativas, a partir da análise dos espaços – topoanálise – relacionando esta categoria da narrativa com a memória: entre a individual e a colectiva. Teresa Manjate ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 https://rlec.pt/article/view/1859 Wed, 26 Jun 2019 00:00:00 +0000 Lusofonia no cinema https://rlec.pt/article/view/1860 Sonhar e escrever. Assim, comecei este artigo, no qual as lembranças me transportaram em uma viagem metafórica ao mundo do cinema para refletir sobre Migração e Lusofonia, contemplando os intrincados caminhos do processo de identidade e alteridade. Com apoio metodológico da Autoetnografia e da Análise de Discurso da Escola Francesa, a construção discursiva representa desenho da vida de imigrantes tecida por fios de pertenças. Assim, o filme luso-brasileiro Terra estrangeira, como objeto simbólico de análise, representa o entrelaçamento entre o desencanto no Brasil do Plano Collor e a esperança de sujeitos fronteiriços em Portugal, lusófonos na busca da concretização de seus sonhos. Benalva da Silva Vitorio ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 https://rlec.pt/article/view/1860 Wed, 26 Jun 2019 00:00:00 +0000 Lisboa africana no cinema: conversas em sala de aula sobre Li ké terra e Cavalo Dinheiro https://rlec.pt/article/view/1861 <p>Hoje, através do cinema, televisão, videojogos, publicidade e outros meios audiovisuais, as imagens têm um papel importante na formação das nossas crenças, conceitos e sonhos. Possuindo um movimento intrínseco que frequentemente escapa ao nosso controlo, as imagens podem contribuir para difundir estereótipos sociais, que marcam as nossas visões do mundo. A recente produção cinematográfica portuguesa destaca visões polémicas da complexa realidade pós-colonial na sociedade contemporânea, devido aos choques de memórias sobre o passado colonial que instiga. O documentário Li ké terra (2010) e a ficção Cavalo Dinheiro (2014) constituem espaços/lugares de memória e de reconstrução histórica. Através de discussões de grupos focais examinamos como jovens estudantes constroem as suas perceções sobre o quotidiano dos “imigrantes” africanos em Portugal e as suas representações sobre “raça”. A análise das discussões dos grupos focais permite a compreensão do modo como as memórias coletivas são (re)criadas em contextos pós-coloniais e uma reflexão crítica sobre conflitos (passados) e as relações intergrupais atuais. Esta análise qualitativa foi realizada com o recurso ao método indutivo-comparativo e também à análise crítica do discurso.</p> Ana Cristina Pereira, Isabel Macedo, Rosa Cabecinhas ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 https://rlec.pt/article/view/1861 Wed, 26 Jun 2019 00:00:00 +0000 Chocolat e Vênus negra: corpo, identidade e memória https://rlec.pt/article/view/1862 Este artigo analisa os possíveis desdobramentos discursivos em torno da representação do corpo feminino no cinema a partir de Chocolat (Claire Denis, 1988) e Vênus negra (Abdellatif Kechiche, 2010); tendo em vista esse corpo enquanto objeto de desejo, lugar de resistência, fronteira cultural e étnica, ou mesmo enquanto vestígio de história e memória. Por meio de articulações teóricas, estéticas e políticas sobre essas imagens, e da análise desses filmes, buscaremos entender de que forma o cinema intercultural – capaz de criar novas imagens a partir da memória dos sentidos, pois possui qualidades táteis e contagiantes, com as quais o espectador se confronta como se estivesse se relacionado com um outro corpo (Marks, 2000) – se faz dispositivo de representação de uma possível história cultural e memória, precisamente por meio do papel que os corpos, deslocados de suas paisagens de origem, atuam para a construção dessa história e memória culturais. Catarina Andrade ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 https://rlec.pt/article/view/1862 Wed, 26 Jun 2019 00:00:00 +0000 O animal cordial: uma rasura da razão https://rlec.pt/article/view/1863 Este artigo propõe uma leitura do filme longa metragem O animal cordial (2018), da roteirista e diretora Gabriela Amaral Almeida. A ideia foi percorrer o enredo contemplando as personagens e descrevendo como a roteirista e diretora brasileira colocou em cheque a validez e a pertinência da noção de “homem cordial”, descrita por Sérgio Buarque de Holanda (1995) em sua obra sociológica Raízes do Brasil. A proposta é observar (1) como esse significante persiste na contemporaneidade a despeito de seus envios anacrônicos e (2) de que forma o filme é, para além de uma leitura de homenagem ou denúncia desse anacronismo, uma possibilidade de reescrita do conceito pela sua rasura. Almeida filma uma noite em um restaurante brasileiro frequentado por pessoas pertencentes a uma classe social média-alta, ou economicamente ascendente. Nessa noite, o que se assiste é ao processo de ruína do “homem” que dá lugar ao “animal” e promove, com isso, uma sobrescrita não apenas do homem como do humano. É essa reescrita violenta e manchada de sangue o que me interessa no filme. É isso o que apresento neste texto amparada pelo pensamento de Hélène Cixous (1995), Alexandre Nodari (2017) e Achille Mbembe (2018), pois, a meu ver, é esse processo que o longa brasileiro expõe tão linda e visceralmente encetando devires. Fernanda Marra ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 https://rlec.pt/article/view/1863 Wed, 26 Jun 2019 00:00:00 +0000 Um olhar sobre o processo de paz Israel-Palestina e a problemática da terra no documentário Promises (2001) https://rlec.pt/article/view/1864 O processo de paz entre israelenses e palestinos, ocorrido na década de 1990, está representado no documentário estadunidense Promises (2001). A questão da posse da terra apresenta destaque no filme através das vozes de crianças árabes e judias que debatem sobre os seus direitos de pertencimento. Neste artigo, demonstramos a representação do conflito pelo documentário, destacando a problemática da terra e considerando a contextualização histórica do período em que o documentário foi produzido. Claudinei Lodos ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 https://rlec.pt/article/view/1864 Wed, 26 Jun 2019 00:00:00 +0000 Produção e formação audiovisual “fora do eixo” no Brasil: o caso do Instituto Federal de Goiás https://rlec.pt/article/view/1865 A produção cinematográfica e audiovisual, a exemplo dos grandes grupos de média, esteve historicamente concentrada nas mãos de poucos agentes em relação ao todo populacional. Este tipo de concentração favorece discursos hegemônicos e representações alienadas de culturas que não produzem seu próprio conteúdo. As políticas públicas de descentralização da produção audiovisual brasileira no século XXI estão a desempenhar um papel importante e bem-sucedido de aumento da produção em regiões fora do eixo Rio-São Paulo, principal centro econômico e de produção dos média do Brasil. As instituições de formação audiovisual que estão “fora do eixo” devem estar atentas a esta organização, preparando os estudantes para os desafios técnicos, sociais e culturais da descentralização da produção e do discurso. O Instituto Federal de Goiás (IFG) oferece desde 2015 o Bacharelado em Cinema e Audiovisual em Goiás, uma pequena cidade da região centro-oeste do Brasil. O curso tem obtido resultados importantes advindos de sua proposta pedagógica ao mesmo tempo em que tenta se consolidar e estabelecer ações de cooperação com outras instituições fora dos principais centros de média de seu país e do mundo. Renato Prado ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 https://rlec.pt/article/view/1865 Wed, 26 Jun 2019 00:00:00 +0000 O regresso do morto: regresso à desgraça de Suleiman Cassamo https://rlec.pt/article/view/1866 O livro de contos O regresso do morto (1997), do escritor moçambicano Suleiman Cassamo, é uma obra que descreve a degradação do ser humano, marcando uma fronteira nítida entre a razão e a irracionalidade. Esta obra na qual o autor desenha um cenário melancólico enquadra-se no âmbito de textos de afirmação sociocultural. Através desta obra, cujos textos foram antologizados em manuais escolares de leitura obrigatória em Moçambique, mergulhamos na complexa e diversa realidade sociocultural moçambicana. Martins José Chelene Mapera ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 https://rlec.pt/article/view/1866 Wed, 26 Jun 2019 00:00:00 +0000 Centros de reeducação em Moçambique (1975-1985): memórias, silêncios e discursos jornalísticos https://rlec.pt/article/view/1867 No período pós-independência, o objetivo da Frelimo era “livrar a sociedade moçambicana de mazelas associadas ao mundo colonial, burguês e capitalista, rumo à construção do Homem Novo, que passava necessariamente por um processo de “reeducação”, no interior do qual os indivíduos seriam introduzidos numa nova ordem” (Thomaz, 2008, p. 179). Esta nova ordem implicava “trabalho disciplinado, despojamento material, superação de antigas lealdades (étnicas, religiosas, de classe, de raça, regionais) e comportamento moral inatacável” sinónimo do “ideal de Homem Novo” (Thomaz, 2008, p. 179). Os artigos publicados em jornais moçambicanos da época contrastam com os textos dos media internacionais. Ungulani Ba Ka Khosa apresenta, em Entre as memórias silenciadas (2013), um retrato de Moçambique nos primeiros anos do período pós-independência com a ficção a alertar para a necessidade de desafiar e recuperar as memórias silenciadas dos campos de reeducação instituídos pelos dirigentes da Frelimo para construir/educar um “Homem novo”. Ba Ka Khosa (2013) procura desmistificar e exorcizar a história do passado recente com um texto que (re)visita a realidade moçambicana no período pós-independência, que para os reeducandos foi sinónimo de violência, sofrimento e exclusão da história e da memória. Como um dos autores mais provocadores da contemporaneidade moçambicana, Ba Ka Khosa “dilui o passado no presente, a ficção na realidade, fazendo da literatura um vivaz espaço para o debate político” (Gallo, 2013, p. 293). Esta comunicação propõe-se analisar a obra de Ungulani Ba Ka Khosa em paralelo com os textos publicados nos meios de comunicação nacionais e internacionais. Orquídea Ribeiro, Daniela da Fonseca ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 https://rlec.pt/article/view/1867 Wed, 26 Jun 2019 00:00:00 +0000 Gago, G. (Realizador). (2017). Matria [Filme]. Espanha: Sombriza Films, Ringo Media. https://rlec.pt/article/view/1868 A curta-metragem Matria [2017], uma produção de Sombriza Films (Galiza) e Ringo Media (Catalunha), da autoria do jovem realizador galego Álvaro Gago [Vigo, 1986] e com o apoio de AGADIC – Agência Galega de Indústrias Culturais, relata um dia na vida de Ramona [Francisca Iglesias Bouzón], uma mulher de cerca de 50 anos, operária de uma fábrica de conservas na zona costeira da Galiza... Carla Cerqueira ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 https://rlec.pt/article/view/1868 Wed, 26 Jun 2019 00:00:00 +0000 Caffé, E. (Realizadora). (2003). Narradores de Javé [Filme]. Brasil, França: Bananeira Filmes, Gullane Filmes, Laterit Productions e Riofilme. https://rlec.pt/article/view/1869 Uma cidade do sertão do nordeste brasileiro será inundada devido à construção de uma usina hidrelétrica... Giane Lessa ##submission.copyrightStatement## http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 https://rlec.pt/article/view/1869 Wed, 26 Jun 2019 00:00:00 +0000