Chamada de trabalhos | Vol. 6, nº 2 | Ressignificações da festa e identidades comunitárias


Editores:  Rita Ribeiro, Manuel Pinto (Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade, Universidade do Minho, Portugal) & Maria Erica de Oliveira Lima (UFC, Rede Folkcom, GP Folkcomunicação Intercom, Brasil)

 

As festividades populares, de matriz tradicional e organizadas ciclicamente pelas comunidades, são espaços-tempo de celebração e efervescência social que vêm conhecendo ressignificações nas sociedades contemporâneas. Longe de permanecerem como uma contínua repetição do passado, as festas renovam-se em ligação com os contextos das comunidades e produzem novos sentidos para quem nelas participa. Desde logo, e tal como as demais práticas comunitárias, tendem a descolar dos modos de vida tradicionais e são hoje, tanto para quem as faz, quanto para quem assiste ou visita, lidas e vividas sob a lente da noção difusa de “património cultural (imaterial)”. Os processos de patrimonialização, mediados por especialistas e organizações locais, têm sido ensejo para a valorização destas manifestações culturais, quando não mesmo para a sua salvaguarda, através de estudos antropológicos, sociológicos e históricos, e com o efeito evidente de reforçar a sua centralidade identitária nas comunidades, favorecendo o envolvimento e participação das gerações mais novas. Há, todavia, que sublinhar também as tensões que se colocam sobre as comunidades, que sentem perder o controlo sobre as suas práticas culturais tradicionais e se debatem entre vantagens e riscos trazidos pela exploração turística e mediática do património cultural.

Para este volume da Revista Lusófona de Estudos Culturais aceitam-se contributos que analisem e problematizem as dinâmicas que atravessam as festividades tradicionais na relação com as comunidades e as mudanças societais contemporâneas. Interessa conhecer e compreender como se fez e faz a festa, como a festa faz a comunidade, qual a relação entre a celebração festiva e as identidades comunitárias, quais as reconfigurações contemporâneas e incertezas que impendem sobre estas manifestações culturais e de que modo o conhecimento científico e estratégias de comunicação reflexivas podem contribuir para a sustentabilidade das comunidades e das suas festas. 

De entre os possíveis, mas não exclusivos, tópicos de análise, constam os seguintes:

- Festividades populares como património cultural imaterial

- Festa e identidade comunitária

- Agentes e contextos das festividades

- Elementos simbólicos na festa (trajes, máscaras, dança, música, etc.)

- Festa, conflito e mediação

- Festividades na encruzilhada da tradição e da modernidade

- Mediatização e turistificação da festa

- Festividades e comunicação

- Festa e temporalidades sociais

- Sagrado e profano na festa

 

 

DATAS IMPORTANTES

Data-limite de submissão: 14 de maio de 2019

Notificação das decisões de aceitação: 9 de julho de 2019

Data de publicação da revista: dezembro de 2019

 

A Revista Lusófona de Estudos Culturais/Lusophone Journal of Cultural Studies é uma revista arbitrada por pares e opera num processo de dupla revisão cega. Cada trabalho submetido será distribuído a dois revisores previamente convidados a avaliá-lo, de acordo com a qualidade académica, originalidade e relevância para os objetivos e âmbito da temática desta edição da revista (www.rlec.pt).

Os artigos podem ser submetidos em Inglês ou Português. Findo o processo de revisão por pares, os autores dos artigos selecionados deverão assegurar a tradução do respetivo artigo, cabendo aos editores a decisão final sobre a publicação do mesmo.

Os originais deverão ser submetidos através do website da revista (www.rlec.pt). Se está a aceder à Revista Lusófona de Estudos Culturais/Lusophone Journal of Cultural Studies pela primeira vez, deve registar-se para poder submeter o seu artigo (indicações para se registar aqui). O guia para os autores pode ser consultado aqui.

Para mais informações, contactar: rlec@ics.uminho.pt